Mostrando postagens com marcador Bruno Ramalho. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Bruno Ramalho. Mostrar todas as postagens

por Bruno Ramalho de Carvalho__





 por Bruno Ramalho__


 por Bruno Ramalho__

 





 por Bruno Ramalho__


A vida é em HTML


 

por Bruno Ramalho__

 

 

Jr. Korpa

saudade é dor em rio,

do olho-d'água da gente

à foz no mar do vazio.

 

*

 

profícua inconclusa,

a palavra,

remota lembrança

do que foi um dia,

faz, parida

da incerteza absoluta,

nascer enxuta, enfim,

a poesia.

 

*

 

em meio aos cacos

de um mundo louco,

os fracos acham

que poesia é pouco.

 

*

 

coleciono

insônias de paz;

durmo pouco,

suspeito,

porque acordado

sonho mais.

 

*

 

serei eu, minha gente,

um tolo a cumprir os prazos,

se o próprio tempo, ultimamente,

tem sido fiel aos atrasos?

 

*

 

do ido assentado,

faz pouco sentido:

um doido acentuado

nem sempre é doído.




Bruno Ramalho de Carvalho 
(1978, Rio de Janeiro, RJ) escreve poemas, diverte-se tocando despretensiosamente o flugelhorn e se interessa por filosofia. Médico ginecologista em Brasília, DF, atua na área da reprodução humana assistida. É autor dos livros A penúltima coisa que se faz (edição do autor, 1999); Do amor deveras e das quimeras (e-book, Emooby, 2011); e livra-me, poesia (Scortecci, 2019), todos de poesia. Tem poemas publicados em revistas e portais de literatura, como Gueto, Mallarmargens, Ruído Manifesto e Mirada. Tem, ainda, mais de 70 artigos publicados em periódicos científicos. Lançou em 2021 
Uns amores bemóis (Editora Patuá).

 

 

por Taciana Oliveira___

 


 por Taciana Oliveira__


poema: augusto de campos de campos augustos




poema: método

poema: VERDARDE




Bruno Ramalho escreveu A penúltima coisa que se faz (edição do autor, 1999); Do amor deveras e das quimeras (e-book, Emooby, 2011); e livra-me, poesia (Scortecci, 2019). Tem poemas publicados nas revistas Toró, Mirada, Cult, Gueto, Mallarmargens e Ruído Manifesto. Mantém o perfil @brunoramalhopoesia no Instagram e no Facebook, onde se podem ler vários de seus poemas curtos e outros formatos do fazer poético. É médico ginecologista em Brasília, DF, onde atua na área da reprodução assistida.

 







Taciana Oliveira é mãe de JP, comunicóloga, cineasta, torcedora do Sport Club do Recife, apaixonada por fotografia, café, cinema, música e literatura. Coleciona memórias e afetos. Acredita no poder do abraço. Canta pra quem quiser ouvir: Ter bondade é ter coragem.

 

 

por Taciana Oliveira__



 por TacianaOliveira__


Plaquete com micropoemas de Bruno Ramalho. Download: clica aqui





por Rebeca Gadelha __ 
Curadoria de Taciana Oliveira

por Taciana Oliveira__






por Taciana Oliveira___