Mostrando postagens com marcador caixa de poesia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador caixa de poesia. Mostrar todas as postagens

 

por Taciana Oliveira ___

 


por Marcelo Maria Azevedo__

 

por Lisiane Forte__


Imagem de Stefan Keller, por Pixbay


 

por Alessandro da Silva Conceição___

 




por Pedro Menezes__


Finn IJspeert

por Taciana Oliveira ___




Há um covarde

Que            arde

Por entre minhas coxas

Por entre esses cabelos

Por entre os teus pelos

Que envoltos entre apelos

Dão em mim como açoites

No meio da noite

Em ébrios vinhos

Cervejas, conservas

Vem cá e esfrega

Essa covardia em mim!



Do livro "Palavras pessadas carregadas por borboletas" (Edições Parresia), de Barbara Assim

 

_________

 

Somente as ruas

Sabem da dor

De ser vago e cheio

Em mesmo tempo e espaço.

 

E quando dou por elas

Um simples passo

Tenho a impressão de estar

Sob o mesmo encalço.

 


Do livro "Palavras pessadas carregadas por borboletas" (Edições Parresia), de Barbara Assim

________

 

Somente quando estamos

No teto da alma

É que desabamos...

 

Sem senso

Com um lenço

Nesse mar

Onde navegamos

 

Vivendo

E querendo

O ranço do que somos.



Do livro "Palavras pessadas carregadas por borboletas" (Edições Parresia), de Barbara Assim

 





Barbara Caroline (Barbara Assim) é uma poeta de Maceió. Professora, estudante de filosofia e integra o Coletivo Poesia no Caos (grupo universitário que tem promovido a arte e suas possibilidades desde o início da pandemia, em 2020). Está lançando em breve seu primeiro livro, Palavras pesadas carregadas por borboletas, onde expõe seu espírito notívago e visceral com uma sutileza incomum. O livro deve ser lançado no primeiro semestre de 2021 pela Edições Parresia e atualmente a escritora está no processo criativo de seu próximo livro de poesias e em projetos de escrita colaborativa. A poeta escreve com um teor de "caos e fogo" singular, como diria o também poeta e seu amigo pessoal Leo Barth, responsável pelo posfácio do referido livro da autora. Assim sendo, desfrutamos em sua escrita o que a sensibilidade nos permite vivenciar ao mesmo tempo sem perder a inquietude pungente de eu lírico igualmente pandêmico.

 





Taciana Oliveira é mãe de JP, comunicóloga, cineasta, torcedora do Sport Club do Recife, apaixonada por fotografia, café, cinema, música e literatura. Coleciona memórias e afetos. Acredita no poder do abraço. Canta pra quem quiser ouvir: Ter bondade é ter coragem.


 

por Manoela Cracel__


Foto:Geordanna Cordero

 

por Taciana Oliveira__

 


 por Taciana Oliveira __





por W. A. da Silva__




 por Mayk Oliveira__



por Taciana Oliveira__


Três poemas do livro “Mulheres de Hopper", de Katia Marchese (editora Patuá, 2020). Ilustrações de Isabela Sancho.



 

por Taciana Oliveira__

 



 

por Taciana Oliveira___



 

por Taciana Oliveira__




 

por Daniel Glaydson__



 por Taciana Oliveira__



 por Lisiane Forte__


Feirinha da Beira Mar/ Foto: Lisiane Forte

 por Taciana Oliveira____




 

por Taciana Oliveira